ULTIMAS NOTÍCIAS

MORTE EM PRESÍDIO EM BRASÍLIA

Um preso morre de ataque cardiaco no presídio da Papuda em Brasília

 

O caso aconteceu em um intervalo de 30 horas, Onde antes também um outro preso passou mal na noite do reveillon, no ultimo domingo (31), que recebeu seus primeiros socorros pelos agentes penitenciários até a chegada do Corpo de Bom-beiros, mesmo sendo tomado todos os procedimentos, o presidiário veio a falecer

de parada cardíaca.

O detento já estava preso há 3 meses, e aguardava julgamento por tráfico de

drogas.

Segundo informações o interno de 24 anos, teria solicitado atendimento médi- co se queixando de fortes dores lombares, na unidade prisional no dia 29.

A Segurança Pública afirmou que após o atendimento médico, o interno foi medicado e não houve mais solicitação de atendimento.

 

No caso da segunda vítima, o atendimento foi realizado pelo samu. O qual foi realizado todos os procedimentos de reanimação. "Sem exito o interno veio a falecer."

O preso tinha sido preso no dia 15 de dezembro por dirigir embreagado.

Segundo à Secretaria de Segurança Pública, o preso já teria passagem por porte inlegal de arma de fogo, e não havia nenhuma solicitação médica, desde o momento de sua chegada a unidade.

 

A Secretaria de Segurança Pública não passou nenhuma informação até o momento sobre historicos méicos em relação da idade dos internos, se hávia pro-

blemas cardiacos.

Por meio de nota, foi informado que a viatura do Corpo de Bombeiros possuia equipamentos de reanimação e os profissionais que ali chegaram eram especializa-dos.

 

Carlos Augusto Fonte de Informações

Jornalista G1 Notícias

 

 

JUSTIÇA ARBITRAL NO BRASIL

VOCÊ SABE O QUE É UMA CAMARA ABIRTRAL?

E SEU FUCIONAMENTO?

 

Ainda pouco conhecida da população, as camaras de arbitragem tem sido um meio de resolução de certos conflitos, há principio quando se fala em arbitragem pensamos em jogos de futebol, pelo fato do arbitro, porém a semelhança pode ser colocada em questão, pois uma decisão de uma penalidade dentro de um jogo não pode ser anulada, assim constitui também na justiça arbitral.

Para que possamos entender como fuciona, temos que compreeder seu conceito:

A Arbitragem é o meio privado e alternativo de solução de conflitos decorrentes de direitos patrimoniais e disponíveis, através de um árbitro, juiz de fato e de direito, normalmente um especialista na matéria, que prolata sentença que não está sujeita a recurso ou a homologação do Poder Judiciário, constituindo título executivo judicial (art. 475-N, IV, do CPC). Obs: no novo CPC continua sendo título executivo judicial.

Pelo fato de ser "Privada" pode ser contratada pelas partes que desejam uma conciliação diante de uma ação de direito patrimonia e disponivel, as partes contratantes terá o poder de escolher seus arbitros, diferentimente do que ocorre no judiciário.

Quais as vantagens de recorrer a Arbitragem?:

Umas das vantagens que existem na arbitragem está no tempo do dercurso do processo, diferentimente do que ocorre no judiciário, a arbitragem possue um limite de tempo para que seja solucionado o conflito, tempo este de 6 meses. O Arbitro tem o dever de cumprir a obrigação legal.

Informalidade: o processo arbitral é informal, existem muito menos dispositivos legais na Lei de Arbitragem do que no CPC. Existem menos formalidades nas audiências e até mesmo de tratamento.

 

Especialização: o árbitro normalmente é especialista na matéria, enquanto o juiz togado é sempre um generalista.

 

Sigilo (art. 13, par. 6 da Lei 9307/96): a arbitragem é sigilosa, pois entre os deveres legais do árbitro está o dever de discrição. A doutrina extrai daí o sigilo da arbitragem. Já o processo judicial é público. O sigilo é uma vantagem principalmente no meio empresarial, dada a existência de negociações sigilosas.

 

Hoje em dia temos a nossa disposição meios de resolvermos conflitos sem que haja a necessidade e recorrermos ao judiciário, que em vista é um processo por demais demorado e caro. A demanda hoje de processos que chegam até a Justiça Federal, são 110 milhões de processos judiciais em tramitação espalhados pelas cortes, e tem sufocado o sistema, por este motivo o judiciário tem apoiado a Arbitragem, como meio de desafogar o sistema.

O Arbitragem recebeu autoridade para atuar nas seguintes àreas:

Direitos patrimoniais disponíveis, que são aqueles que podem ser avaliados pecuniariamente e que podem ser comercializados ou transacionados livremente por seus titulares. Exemplo de áreas que utilizam a Arbitragem:

 

– Cível

– Comercial

– Consumidor

– Imobiliário

– Condominial

– Relações comerciais internacionais.

 

Diante destas informações vale apena, diante de um conflito buscar uma camara de arbitragem para solucionar seus problemas, sem constrangimento de tempo e despesas, pois os custos com a Arbitragem tonasse baixa diante de um processo longo e dificil do judiciário.

Fica aqui a dica! e boa sorte em seus conflitos

 

Carlos Augusto Fonte de Informações

Jornalista Pesquisas

 

 

 

RÁDIO GOSPEL

radiogospelonline.org